Película automotiva: tipos, vantagens e o que diz a lei

Película automotiva: tipos, vantagens e o que diz a lei

“O que tem de tão importante para se dizer sobre película automotiva?”, você deve ter pensado. Ela não é apenas um adicional aleatório para o seu carro: além de garantir segurança e privacidade, trazem ainda outros motivos para ser utilizada, como saúde da pele, redução de luminosidade e temperatura, assim como redução da descoloração do automóvel por causa do sol.

Já somos tão familiarizados com o uso das películas (ou insulfilm), que nem nos damos conta de quão importantes e úteis elas são. O artigo de hoje vai falar sobre cada uma das suas vantagens e seu uso correto, visto que tem até mesmo uma série de regras previstas em lei com direito a multa para quem não cumpri-las.

É película ou insulfilm?

A película é conhecida por praticamente todo mundo como insulfilm, que é o nome de uma marca que virou referência no mercado, um caso que acontece com várias outras (esse tipo de figura de linguagem é chamado de metonímia). No Brasil, existem diversas marcas que produzem películas automotivas e que preferem assim chamá-las para não divulgar a concorrência.

O que acontece é que cada marca se utiliza de uma tecnologia diferenciada, sempre procurando oferecer mais vantagens, como o caso das nanopelículas, que garantem maior controle sobre o calor no interior do automóvel, por exemplo.

Vantagens de instalar película automotiva no seu carro

Proteção contra raios ultravioleta

Veículos com películas instaladas podem proteger a visão dos motoristas de até 99% dos raios ultravioletas, evitando também o desgaste dos bancos, do painel e da direção, já que impede o seu contato direto com o sol. Além disso, serve para amenizar a temperatura interior, não sendo preciso o uso constante do ar condicionado, acarretando em menos gasto de combustível.

Proteção contra estilhaços de vidro

Como a película é adesivada nos vidros, eles ficam mais resistentes, evitando que estilhaços atinjam o motorista em caso de colisões ou vandalismo.

Maior segurança

Além de proteger sua pele e privacidade, elas também te dão mais segurança. Inclusive existem modelos no mercado chamadas de películas de segurança, como as citadas acima (nanofilm ou nanopelículas), que tornam os vidros mais resistentes contra colisões e vandalismo.

Variedade

Hoje, no mercado, existe uma vasta gama de variedades de modelos de películas automotivas, em diferentes tons, como preto, grafite, fumê e até mesmo metalizado. Quem não gosta de tonalidades escuras podem optar por uma mais transparente porém com a mesma eficiência na proteção.

Tipos de películas

Básica

É a mais popular entre as películas e também a com preços mais acessíveis, com transparências que vão de 5% a 35%. Mas sua qualidade pode deixar a desejar.

Avançada

Possui as mesmas características da anterior, porém com um pouco mais de qualidade na fabricação, maior proteção solar e conforto térmico, com transparências de 5% a 50%. Naturalmente, seu valor é um pouco maior.

De segurança

É conhecida como semi-blindada, apesar de não existir nenhuma proteção do tipo. É mais espessa que a básica e a avançada, por isso garante uma maior segurança, pois é capaz de reter estilhaços de vidro, mas ainda assim não impede que ele se quebre. Sua transparência vai de 5% a 35%.

De para-brisa

É o carro-chefe das marcas: tem melhor qualidade que as outras e sua transparência chega a 75%, dentro do que é previsto a lei. Além disso, ela conta com bloqueador de raios ultravioletas e maior conforto térmico dentro do veículo.

O que diz a lei sobre as películas automotivas?

As leis que se referem ao limite de insulfilm passam pelo Código Brasileiro de Trânsito, que atribui a competência ao CONTRAN, o Conselho Nacional de Trânsito. As normas de regulamentação das películas automotivas foram criadas em 2007, restringindo o uso de alguns modelos e porcentagem de visibilidade.

A lei prevê que nem todas as películas podem ser instaladas nos vidros dos carros. O limite máximo é pensado na visibilidade do motorista e na segurança de todos no trânsito. O limite varia de acordo com o vidro escolhido (para-brisa, vidros laterais ou traseiros).

Para estabelecê-lo, um medidor chamado luxímetro analisa a passagem de luz pela película.

Para-brisa

Nele, é permitido que seja colocada uma película de com limite de 25% de visibilidade. Caso esteja além do autorizado, o motorista está sujeito a multa e terá que removê-la.

Vidros laterais e traseiros

Como não interferem na visibilidade do motorista, seu limite de é de 72%. Elas podem ser escuras, mas dentro do que é estipulado. Já nos vidros traseiros, que também são utilizados para manobras, podem ser utilizadas películas com até 28% de transparência.

Além das especificações, devem estar gravados na película, em local visível, a marca do instalador e o índice de transmissão luminosa. Algumas películas são estritamente proibidas por lei, como a Insulfilm G5 e as reflexivas. Para não errar na escolha, leve seu carro a uma loja ou oficina autorizada e de confiança. E Não se esqueça de exigir o certificado de garantia!

Este artigo foi útil para você? Seu feedback é muito importante para nós. Deixe seu comentário, curta, compartilhe e assine a nossa newsletter!

Cadastre para receber novidades

loading...