Como agir em caso de roubo ou furto do seu carro?

Como agir em caso de roubo ou furto do seu carro?

Hoje, não somente nos grandes centros urbanos, mas em qualquer lugar, a prática de roubos e furtos já faz parte do cotidiano das pessoas. Com o crescimento vem a violência, que infelizmente nos deixa com sensação de medo e incapacidade de fazer algo a respeito. Muita gente já passou e quase todo mundo conhece alguém que já esteve sob a mira de uma arma. Alguns saem ilesos, outros não. Mas por que isso acontece? Não dá para mudar a sorte nessas horas, mas há coisas que podem ser feitas para, ao menos, evitar o pior.

Acredite ou não: um ladrão precisa de pouco mais de 20 segundos para arrombar seu carro e levá-lo embora, afinal, na hora em que o vidro é quebrado, o alarme dispara. Casos assim são menos piores por não haver ninguém dentro, principalmente se o seu veículo estiver protegido contra esse tipo de coisa. Nosso artigo de hoje vai fazer sobre o que fazer ao passar por um roubo ou furto. Já adiantamos que a primeira regra é: não entrar em pânico!

Roubo e furto: tem diferença?

Ambos os crimes são atos de apropriação de bens alheios e por isso a maioria das pessoas acreditam que são a mesma coisa, normalmente sendo designadas como assalto, que é um conceito que sequer existe no direito penal. De acordo com ele, furto e roubo são infrações previstas em diferentes artigos, referentes a crimes contra o patrimônio, ou seja, são semelhantes, mas com diferença na forma como são praticados.

Furto

Pode ser simples ou qualificado. O primeiro é quando alguém subtrai bens materiais de outra pessoa sem consentimento. O segundo é diferente na maneira como é executado, com artifícios empregados na ação que irão definir se ele é ou não qualificado. Por exemplo: roubar um carro enquanto ele está estacionado, sem a presença do proprietário, configura furto simples. Já no caso de o criminoso se utilizar de embustes para distrair o motorista para conseguir levar o veículo, é furto qualificado.

Roubo

Este aqui consiste na retirada de bens de outras pessoas por meio de violência física ou ameaças, com abordagem direta. É considerado mais grave, pois para que seja realizado, o criminoso precisa impossibilitar a resistência da vítima, com contato intimidador. Dessa forma, a pena por roubo é mais severa que a por furto.

É muito comum que ameacem tirar a vida da vítima com o uso de arma de fogo. É nessa hora em que precisamos estar atentos ao que fazer.

Como proceder em um assalto?

Não reaja 

Demonstre tranquilidade, por mais que seja difícil, mantendo as mãos visíveis, de preferência na direção, sem contato visual direto. Não tente negociar de forma alguma, apenas entregue o que for exigido. A forma como alguém se comporta em situações desse tipo pode ser o que vai definir sua segurança.

A reação é um instinto natural do ser humano, e lutar contra isso não é fácil, principalmente em situações de vida ou morte. Tentativas de fuga ou de enfrentamento podem fazer com que o criminoso fique ainda mais violento, podendo atentar contra a vida da vítima. 

Mantenha a calma

Estão tentando tirar o seu carro com uma arma apontada para a sua cabeça. Gritar, chorar e tentar fugir são literalmente as primeiras coisas que vêm à cabeça, principalmente quando o corpo libera adrenalina, que faz com que chegue menos sangue ao cérebro, impedindo o raciocínio claro.

Um crime é planejado para ser sempre o mais rápido e discreto possível. Qualquer coisa que atrapalhe isso pode mudar os planos do assaltante de deixar a vítima sair do local com vida.

Permaneça imóvel

Tudo nesse momento é imprevisível, e qualquer movimento pode ser interpretado de forma errada. Como já foi dito, permaneça com as mãos onde o criminoso possa ver, informando qualquer ação que for tomar, como retirar o cinto e pegar a carteira ou o celular.

Ninguém tem por obrigação saber o que fazer em um assalto, mas seguindo essas dicas você garante o mínimo de segurança. Tente memorizar os traços físicos do assaltante de maneira discreta, para facilitar na hora do boletim de ocorrência.

O que fazer após o roubo ou furto?

É imprescindível comunicar o ocorrido às autoridades, para que tudo fique declarado oficialmente. Registrar um boletim de ocorrência é algo simples e ajuda na hora de recuperar o veículo e os pertences que estavam lá dentro.

Muitas vezes pelo trauma ou medo de levar as coisas adiante, muitas pessoas negligenciam essa comunicação, por acreditar que não vai servir de nada ou botar sua segurança em risco. Registrando um B.O., você contribui para que o criminoso seja punido e que haja menos ocorrências futuras.

Entre em contato com seu serviço de proteção veicular ou seguradora

Quanto mais rápido forem avisadas, mais rápido você será indenizado. Ao entrar em contato, elas irão informar quais documentos deverão ser enviados e fazer a comprovação do sinistro. Depois disso, a indenização deverá ser paga dentro de um prazo legal de 30 dias ou o estipulado entre os participantes, no caso de empresas de proteção veícular.

Como prevenir?

Invista em um sistema de rastreamento

Poucas coisas são tão eficazes quanto o rastreamento veicular. Ele é capaz de informar a localização em tempo real do veículo, sem intermédios. É importante deixar evidente que o carro possui tal dispositivo, pois isso fará o criminoso pensar duas vezes antes de querer roubá-lo.

Com o rastreamento você fica mais seguro inclusive na hora do assalto, pois sabe que não há motivos para ficar preocupado ao tentar descobrir para onde irão levar seu carro. Isso pode evitar reações que custem sua integridade física.

Aplique películas nos vidros

Já falamos no post anterior sobre a importância de películas automotivas na hora de garantir a segurança do que está dentro do automóvel, já que irá diminuir bastante a visão do ladrão, sem contar que tornam os vidros mais resistentes caso tentem quebrá-los. De qualquer maneira, deixar coisas de valor (ou qualquer coisa que chame atenção) dentro do carro nunca é recomendado. Guarde tudo no porta-malas, de preferência.

Estacione em locais bem iluminados

Locais com pouca iluminação e movimento são sempre um convite a pessoas mal intencionadas. Como a discrição é um fator crucial para um criminoso realizar seu “trabalho”, ele não vai querer se comprometer fazendo algo em um local cheio de testemunhas e de difícil locomoção.

Equipe o carro com sistema de alarme

Muitos já vêm com alarme de fábrica, pois é um item essencial para proteção. Alguns sistemas, além de chamar atenção, também podem travar a ignição do motor após certa distância percorrida, impedindo o veículo de ser furtado e garantindo que seu dono fuja em segurança. Travas e vidros elétricos também são boas medidas de baixo custo, tendo em vista a segurança que proporcionam.

Este artigo foi útil para você? Seu feedback é muito importante para nós. Deixe seu comentário, curta, compartilhe e assine a nossa newsletter!

Cadastre para receber novidades