Carros antigos: Cuidados indispensáveis

Carros antigos: Cuidados indispensáveis

Em nosso blog, sempre falamos bastante sobre cuidados para com o seu carro e como são importantes para garantir sua vida útil. Seja ele novo ou mais antigo, o que importa é mantê-lo conservado. Algumas pessoas têm preferência pelos modelos realmente antigos, daqueles clássicos que se via nos filmes, seja por valor sentimental, nostalgia, não interessa. Não dá para negar que são, de fato, apaixonantes e charmosos.

Acontece que cuidar de um carro assim não é uma tarefa fácil, tampouco barata, principalmente se você o adquiriu em condições não muito boas. Imagine só encontrar peças e acessórios originais de modelos que deixaram de ser fabricados há anos: uma missão praticamente impossível, além de cara. Mas se é para ter, vamos cuidar, certo? O post de hoje vai te dar algumas dicas para você cuidar bem do seu velhinho, garantindo a ele muito mais durabilidade e estilo, que, convenhamos, é o maior diferencial que eles oferecem! 

Quero ter um carro antigo, como escolher?

O carro antigo não é um simples carro velho, daqueles que estão caindo aos pedaços. São modelos que já saíram de linha, porém funcionam normalmente. Segundo a Federação Brasileira dos Veículos Antigos, um automóvel é considerado velho a partir de 30 anos. Vamos ao passo-a-passo para você fazer a melhor escolha:

Faça muita pesquisa

Primeira dúvida que surge é: comprar um para restaurar e personalizar do seu jeito ou outro que só necessite de alguns poucos detalhes? A primeira coisa a se levar em conta é o dinheiro. Em seguida, tempo e paciência. É importante descobrir se há alguma oficina especializada nesse tipo de veículo na sua cidade, se existem peças disponíveis para venda ou até mesmo se elas podem ser fabricadas artesanalmente. Procure em fóruns online, leilões e conte com a ajuda de quem entende do assunto, como mecânicos de confiança.

Fique atento aos detalhes

Como na compra de qualquer objeto usado, vários detalhes devem ser observados para que você não corra o risco de levar um carro em condições ruins, sem muitas chances de ser recuperado. Se a carroceria e o chassi estiverem muito danificados, dificilmente terão chance de ser restaurados, assim como partes enferrujadas. Bolhas, marcas e arranhões sempre podem ser amenizados, mas dependendo do estado, pode ser que a reparação não fique perfeita.

Histórico do veículo

Pela placa de identificação, é possível saber se o carro sofreu alterações nas cores internas ou externas, no acabamento, motor, dentre outras partes. Quem compra deve se atentar a isso, além de procurar saber se o automóvel já foi batido ou possui problemas com a fiscalização. Quanto menos modificações, melhor avaliado o carro vai ser.

Priorize a segurança

Conseguir seguro ou proteção veícular para um carro antigo pode ser muito difícil, por conta da dificuldade em repor as peças caso algo aconteça. Por isso, por mais que o valor seja alto, a melhor solução é garantir a segurança do carro 24 horas por dia, de preferência com monitoramento online, afinal, além de ser um bem precioso, há sempre a questão do valor sentimental acerca dele.

Como cuidar do meu carro antigo?

A que faz um carro antigo ser uma lata-velha ou um clássico é o dono. A manutenção deve ser muito mais cuidadosa e constante. Demanda (além do amor) atenção e dedicação diferenciadas. Não basta apenas preservar o bom desempenho, mas tentar ao máximo manter sua performance original. Mantê-lo dessa forma é um desafio e tanto, principalmente quando se leva em conta o desgaste natural dos seus itens e acabamento com o passar do tempo.

Quem gosta de carros antigos sabe do impacto que seu visual causa. As pessoas sempre enchem os olhos para admirar quando veem um na rua, principalmente por não serem tão comuns. É no exterior que está todo o atrativo de um automóvel. Então, vamos começar por ele.

Pintura

A qualidade e preservação da pintura deve ser uma das principais preocupações do proprietário. Para evitar manchas, inicialmente, deve ser feita uma descontaminação da lataria antes da lavagem, principalmente se o veículo já foi exposto a agentes que afetam a pintura. A aplicação regular de cera é fundamental para preservar o brilho e o polimento tem que ser feito cuidadosamente, com produtos adequados e de qualidade. Se uma nova pintura for realmente necessária, que seja preservada a cor original, que garante muito mais valor ao carro. Para identificar a cor, basta fazer uma pesquisa utilizando o número do chassis.

Detalhes e acabamento

Os detalhes fazem toda a diferença, agregam um diferencial estético ao design do carro, que já é por si só diferenciado. No caso do acabamento, o ideal é manter cada elemento, usando polidores contra corrosão e evitar contato com agentes abrasivos. O polimento deve ser sempre realizado em ambientes sem areia ou elementos que possam riscar o metal.

Interior

É essa a parte realmente encantadora de um clássico. Seus estofamentos diferenciados, painel, volante, janelas: tudo em seu interior remete a um filme de época. É importante lembrar que esses componentes são muito valiosos, por isso devem ser tratados com todo o cuidado possível. É importante realizar uma limpeza completa no interior de um carro antigo regularmente. Seus estofamentos, por exemplo, devem receber um tratamento especial, sendo limpos e hidratados para evitar ressecamento e rachaduras. Para os que são feitos de tecido, opte por uma higienização profissional.

Motor

Se o carro esteve parado por muito tempo, procure saber se vai ser preciso retirar os fluidos de dentro do motor, para que não haja corrosão nem vazamento. Ao ligá-lo, dê aquela esquentada no motor antes de dirigir. Isso não é papo antigo! Você sabia que é o certo a se fazer até mesmo em modelos novos? Deve ser assim porque o motor foi projetado para funcionar sob determinada temperatura, que deve ser alcançada antes de botá-lo em funcionamento. Isso diminui risco de danos e melhora o desempenho do automóvel, assim como revisar o carburador a cada 90 dias. Em tempos de injeção elétrica, pode ser difícil manter esses cuidados, mas ele é extremamente importante para os carros antigos.

Freios

Os modelos clássicos não possuem os mesmos sistemas de freio que os atuais, e sim um chamado de freios por tambor, parecido com o dos freios a disco, porém possuem mais peças e são mais difíceis de serem reparados, pois têm um processo de fabricação mais barata. Com o tempo, a lona de freio vai ficando desgastada, sendo necessária a troca da peça. É bom lembrar que a direção em carros antigos deve ser suave, pois não foram feitos para aguentar freadas bruscas.

Confie seu carro nas mãos de quem entende

A manutenção de carros antigos deve ser feita por quem entende, já que é uma tecnologia completamente diferente. Nada é como nos carros atuais, e confiar o seu clássico tão precioso nas mãos de qualquer mecânico pode não ser a melhor escolha. Apesar de tantas peculiaridades, a informação técnica sobre esses cuidados não chega a ser segredo, assim como a estrutura necessária para o atendimento, que é praticamente igual a de uma oficina comum. O que vai fazer toda a diferença é o conhecimento do profissional. Além disso, proteger seu carro antigo torna-se extremamente necessário, por isso não hesite em contratar um serviço de proteção com assistência 24h para que você não saia no prejuízo em caso de imprevistos!

Este artigo foi útil para você? Seu feedback é muito importante para nós. Deixe seu comentário, curta, compartilhe e assine a nossa newsletter!

Cadastre para receber novidades